sexta-feira, 30 de março de 2012

A metade do inteiro que somos

- Eu tenho medo.
-Medo de quê?
-Da solidão, ela me sonda, tenho medo de ela me pegar, e medo de acabar sozinho.
-Mas, que medo bobo!Você já parou para pensar bem nesse seu medo?
-Sim!Penso nele todo dia, e a cada dia o medo aumenta.
-Desculpa te decepcionar, mas você não está pensando direito.
-Como assim?
-Sozinho você já é desde que nasce. Claro que você pertence a uma espécie, mas dentro dessa classificação você é único, ninguém é igual a você. O que acontece é que você, mesmo sendo único, não é um inteiro, você é metade de algo, e em algum lugar existe alguém que como você é único e também é metade de algo, algo este que é você.E quando vocês se encontrarem ai sim serão um inteiro, continuam únicos porém o sentimento de ausência acaba. Você percebe isso quando esta em algum lugar com varias pessoas e diz se sentir sozinho, e diz estar sozinho, o que é errado de fato, por que se você pegar qualquer dicionário, sozinho significa solitário, abandonado, e como você pode estar abandonado, se por hora há mais pessoas com você? É isso que acontece, na verdade você não esta sozinho, você esta sentindo falta da sua metade. Que muitas vezes você até encontra, e outras vezes você passa pela vida sendo apenas metade de algo que por algum motivo, o qual  não compete a nós saber, não era para se tornar um inteiro.